Microsoft Clarity: A Nova Ferramenta Gratuita de UX

Já conheces a Microsoft Clarity, uma nova alternativa a ferramentas como CrazyEgg, Hotjar e Google Analytics?

Com o Google Page Experience quase a estrear-se, o maior motor de pesquisa do mundo já deixou clara a importância que uma boa experiência de navegação para o utilizador terá para o SEO de um site.

A partir de 2021, a UX (User Experience) será, oficialmente, um critério de classificação para o ranking do Google.

Portanto, se batalhas diariamente para alcançar melhores posições nas páginas de resultados do Google, tens mesmo de trabalhar o teu site atentando a esta nova atualização.

É aqui que entra a nova ferramenta de analytics da Microsoft como uma possível grande aliada!

Na última semana de outubro, a Microsoft lançou a Clarity, uma nova ferramenta gratuita de análise de comportamento dos utilizadores.

A nova ferramenta de UX da Microsoft surge no mercado como uma alternativa mais acessível comparativamente a ferramentas como CrazyEgg, Hotjar e MouseFlow.

Neste artigo, vou explicar-te tudo acerca da nova ferramenta gratuita de UX da Microsoft. Vais ler:

  1. O que é a Microsoft Clarity?
  2. O que é UX?
  3. Como usar a Microsoft Clarity?
  4. Mapas de calor
  5. Profundidade de scroll
  6. Gravação de sessões
  7. Google Analytics vs. Microsoft Clarity
  8. Porque devo usar a Microsoft Clarity?
  9. Conclusão

 

O que é a Microsoft Clarity?

A Microsoft Clarity é uma ferramenta gratuita, da Microsoft, focada na análise de dados relacionados com a experiência do utilizador dentro de um site.

Na nota oficial de lançamento da Microsoft, a Clarity veio para ajudar os administradores/gestores de websites a melhorar as experiências de navegação através da compreensão do comportamento dos utilizadores.

A nova ferramenta gratuita de UX oferece, segundo a Microsoft, um conjunto de ferramentas que ajudam as pessoas que gerem sites a tomar decisões mais informadas sobre as alterações que devem fazer nos mesmos.

A Clarity fornece uma série de informações, como erros de JavaScript e mapas de calor, provenientes da monitorização das ações que os utilizadores realizam ao visitar uma página web.

Permite descobrir que partes do nosso website obtêm mais e menos engagement, de modo a que possamos otimizá-lo de forma eficiente.

Para quem deseja melhorar a UX do seu website, a Microsoft Clarity é uma ótima alternativa. E o melhor é que não é preciso pagar nada por ela!

A Microsoft destaca ainda que a instalação da ferramenta no teu site não terá nenhum impacto no seu tempo de carregamento, o que é um fator muito importante!

 

O que é UX?

Caso não estejas totalmente a par sobre este termo, não te preocupes! De seguida, explico-te, resumidamente, e de forma muito simples, em que consiste.

UX é uma abreviação do termo User Experience (em português, Experiência do Utilizador) e consiste na criação de experiências de navegação agradáveis, práticas e eficazes, de forma a conquistar e fidelizar clientes.

Com esse objetivo em mente, os designers de UX estudam o comportamento humano e o serviço oferecido para encontrar meios de melhorar a satisfação e a lealdade dos clientes.

Isso é alcançado, normalmente, através de três pilares:

  • Utilidade — O quão útil é o serviço para o cliente; até que ponto a nosso serviço ao nível do website é melhor do que as alternativas da concorrência.
  • Facilidade de uso — Facilidade e rapidez do serviço. Pessoas menos dotadas de competências tecnológicas conseguem usar o serviço sem problemas?
  • Prazer — O quão prazeroso (divertido, interessante, recompensador, etc.) é usar o nosso serviço e não alguma outra alternativa disponível.

Diferente do Design de Serviço, que abrange todo o ecossistema visual do serviço, o UX está mais relacionado ao uso do serviço em si, principalmente nas suas interações com o cliente final.

É aplicado (ou deve ser) tanto para a criação de novos serviços, quanto para manutenção e gerenciamento dele no curto, médio e longo prazo.

Agora, passemos à explicação sobre o funcionamento da nova ferramenta gratuita de UX da Microsoft.

 

Como usar a Microsoft Clarity?

“Designed to be easy to use and to be easy on your site.” – Microsoft

Lançada como uma alternativa a ferramentas mais conhecidas no mercado, como CrazyEgg e Hotjar, a Microsoft Clarity veio para conquistar os seus utilizadores através da simplicidade.

Para utilizá-la, basta criar uma conta e veicular a ferramenta a um ou mais sites que desejas acompanhar.

Tomei a liberdade de partilhar contigo o passo-a-passo simplificado daquele que foi partilhado pela Microsoft:

Criar conta
1. Vai a https://clarity.microsoft.com/ e clica em Get started.

microsoft-clarity

 

2. Depois, é só fazeres Sign in com a tua conta Microsoft, Facebook ou Google.

 

Instalação

A instalação é feita de maneira muito semelhante à instalação do Google Analytics.

1. Clica na aba Settings, no menu superior da ferramenta.

microsoft-clarity-como-instalar

 

2. No menu à esquerda, clica em Setup, seleciona e copia a tag de rastreamento (tracking code).

microsoft-clarity-como-instalar

 

3. Cola o trecho de código na secção <head> das páginas do teu site e a instalação está concluída!

NOTA: Lembra-te que o código de rastreamento também pode ser incluído em diversos subdomínios de um mesmo site.

 

Principais relatórios

Com a Clarity, podes ter acesso a relatórios fundamentais tanto para medição da satisfação do utilizador, como para uma estratégia integrada de marketing digital, sendo os mais populares os relativos a:

  • Total de sessões;
  • Taxa de engagement;
  • Páginas visitadas por sessão;
  • Páginas mais populares;
  • Origem e etc.

ux-microsoft-clarity-relatorios

 

É verdade que todos estes dados são facilmente encontrados noutras ferramentas disponíveis no mercado, igualmente gratuitas.

Os diferenciais da Clarity estão, essencialmente, nas funções de mapas de calor, profundidade de scroll, gravações de sessões e nos dead e rage clicks, que explicarei a seguir.

 

Mapas de calor

Os mapas de calor são preciosos para a avaliação da experiência do utilizador.

Através deles, é possível identificar que pontos de uma página web são mais atrativos, com que itens os utilizadores mais interagem e onde o botão de CTA deve estar posicionado para obter mais cliques. TOP, não é?

mapas-de-calor-ux

Repara, na imagem acima, nos pontos vermelhos (mais quentes): são estes os lugares em que os utilizadores mais clicaram!

Os pontos azuis, por sua vez, não tiveram tanta atenção por parte dos visitantes.

Na coluna da esquerda estão discriminados todos os elementos presentes na página analisada.

Ao selecioná-los, eles são destacados no mapa de calor com dados mais detalhados como taxa e número de cliques recebidos.

A Microsoft Clarity disponibiliza relatórios de mapa de calor para visualização do site em desktop, tablet e smartphones; nas modalidades de mapas de cliques e de scroll (em breve).

Falemos agora da segunda funcionalidade que se consolida como um diferencial da Clarity: a profundidade de scroll.

 

Profundidade de scroll

Saber até onde os utilizadores vão dentro de uma página é muito interessante.

Este relatório indica de que maneira uma página foi capaz de reter um utilizador e porquê.

Ao perceber, por exemplo, que a grande maioria dos utilizadores só chegam a metade da tua página de vendas, compreendemos que pode ser necessário mudar as informações de lugar, organizando-as de maneira que possam prender a atenção de uma pessoa por mais tempo.

Esta métrica também é um bom indicativo da qualidade de um conteúdo. Se a maior parte dos leitores não chegou ao final do texto, significa que há algo a melhorar.

Esta função estará disponível no Clarity em breve.

microsoft-clarity-ferramenta-de-ux-funcionalidades

 

Gravação de sessões

Este relatório é, talvez, o maior diferencial da nova ferramenta de UX da Microsoft.

microsoft-clarity

A gravação de sessões permite-nos assistir às sessões dos utilizadores, tendo uma visão clara do scroll e do movimento do cursor.

Além das gravações, também está disponível uma grande diversidade de filtros de exposição, permitindo que selecionemos as gravações por período de tempo, dispositivo, ações do utilizador e outros.

microsoft-clarity-gravaçao-de-sessoes

Em Insights estão as opções de filtrar por rage clicks, dead clicks, excessive scrolling e quick backs. Se, para ti, isto foi chinês, continua a ler, que eu traduzo-te estas métricas!

 

Rage Clicks

Os rage clicks são os cliques repetidos muitas vezes numa mesma área, num curto período de tempo, demonstrando alguma inquietação por parte do utilizador.

Este pode ser um indicativo, por exemplo, de que algum botão está no lugar errado.

 

Dead Clicks

Os dead clicks são os cliques que não levaram o utilizador a lado nenhum, ou seja, são “cliques sem efeito”.

Estes podem ser áreas do site em que o utilizador pensou haver um hiperlink, mas não havia. É um ótimo indicativo de que faltam opções de ação nas tuas web pages.

 

Excessive scrolling

Esta métrica refere-se a quando um utilizador fez scroll numa página mais vezes do que o normal.

Pode significar que o utilizador procurava uma informação que não encontrou.

 

Quick backs

Os retornos rápidos correspondem a cada vez que um utilizador acessou uma página, mas voltou para a página anterior muito rapidamente.

Geralmente, significa que o utilizador procurava uma informação que não encontrou, mas também pode estar relacionado a botões posicionados em áreas que confundem os visitantes.

 

Google Analytics vs. Microsoft Clarity

Ambas as ferramentas fornecem análises profundas sobre o teu website.

Permitem ver o total de sessões, as fontes de tráfego, dados demográficos dos utilizadores, tempo de carregamento das páginas, páginas abertas por sessão e taxa de rejeição, entre outros.

Tanto no Google Analytics, como na Microsoft Clarity, podes filtrar e observar os dados por país, navegador e sistema operacional, bem como por URL de entrada ou saída.

Portanto, há muitas coisas em comum entre o Google Analytics e a Microsoft Clarity.

Dou como assegurado que já conheces o painel do Google Analytics, e mostro-te, agora, aquilo que poderás encontrar na Microsoft Clarity:

google-analytics-vs-microsoft-clarity

O Google Analytics, contudo, ainda é muito mais robusto relativamente às necessidades de e-commerces, por exemplo, porque é capaz de trazer insights sobre conversões e funil de vendas, enquanto a Clarity foca-se apenas no comportamento do utilizador.

Outra deficiência da Clarity é a ausência de dados como a taxa de rejeição, representados de maneira redutora pela métrica de quick backs.

 

Porque devo usar a Microsoft Clarity?

Se chegaste aqui, deves estar a perguntar-te, depois de concluíres que o Google Analytics é mais completo, porque deves, afinal, usar a Microsoft Clarity, certo?

Ora, porque a nova ferramenta de UX da Microsoft fornece registros reais de visitas ao site, incluindo o número e a localização de cliques numa página, e até onde o utilizador está a fazer scroll na página.

Insights como estes possibilitam que vejamos quais as páginas que estão com pior desempenho e qual o motivo de os utilizadores saírem delas.

As gravações de uma página podem ser assistidas, portanto, podes ver exatamente onde um utilizador clicou e quando saiu.

As sessões com erros de JavaScript também são capturadas.

No fundo, a Microsoft Clarity dá-te uma visão abrangente e uma compreensão real do comportamento do utilizador no teu site e em cada página em particular.

 

Conclusão

Em suma, o ideal seria utilizar o Google Analytics + a Microsoft Clarity!

A Clarity é bastante recente, tendo sido lançada em novembro de 2020, mas já é possível afirmar que pode ser uma ferramenta muito interessante.

Já experimentaste esta ferramenta?

Partilha comigo a tua opinião na caixa de comentários abaixo!

Solicitar Orçamento

Procura um Consultor com vasta experiência na área do Marketing Digital, focado em alcançar objectivos e em aumentar o ROI dos seus Clientes? Não hesite:

Subscreva a newsletter!

    Siga este link para aceder a Política de Privacidade
No Comments

Comente

Mais artigos

Ver todos os artigos