O que ler estas férias?

Férias são a altura perfeita para pôr leituras em dia. Se procuras inspiração ou não sabes que livro escolher para te acompanhar durante as tardes solarengas de agosto, estás com sorte:

Decidi aglomerar alguns dos meus livros preferidos – sendo uns leituras mais recentes do que outras – enquanto sugestões de leitura para te entreteres durante as férias e que certamente te enriquecerão imenso!

 

How to Win Friends and Influence People, de Dale Carnegie

Quando a ideia de criarmos a Influenza surgiu, não pude deixar de revisitar este clássico, que tenho mantido na estante há tantos anos…

Dale Breckenridge Carnegie foi um escritor americano que desenvolveu, igualmente, muitos cursos famosos de desenvolvimento pessoal, vendas, formação corporativa, public speaking e relações interpessoais

Considero sempre interessante saber um pouco da história dos autores, pelo que me aventurei na pesquisa, acabando por descobrir que Carnegie nasceu numa fazenda pobre, no Missouri. É fascinante como acabou por ser autor de vários bestsellers, incluindo este livro (com mais de 15 milhões de cópias vendidas) – logo, acredito que saiba do que fala, no que diz respeito a desenvolvimento pessoal…

How to Win Friends and Influence People foi publicado pela 1.ª vez em 1936, mas continua muito popular até aos dias de hoje. Como o título anuncia, o livro aborda a arte de fazer amigos e de influenciar pessoas, fornecendo dicas e conselhos úteis para melhorar a capacidade de cada um de nós para se fazer ouvir e de fazer com que os outros gostem de nos ouvir

 

how-to-win-friends-and-influence-people

 

Diz-se que este é um dos “clássicos” da literatura motivacional, mas, para mim, é muito mais do que isso. Não se fica apenas pelas mensagens corriqueiras que a maioria dos livros deste género apresenta: a cada capítulo, faz-nos refletir sobre posturas alternativas que podemos tomar para resolver conflitos relacionais.

Aquando da leitura deste livro, rapidamente percebi que tinha muitas ideias em comum com o autor. Inúmeras vezes, as pessoas fazem uma associação rígida entre o sucesso e os estudos ou conhecimentos profissionais. Partilho da mesma opinião que Carnegie, quando diz que o mundo pertence, antes, a quem consegue expressar as suas ideias, assumir a liderança e motivar os outros. 💪

Já na altura, Dale Carnegie defendia que a chave para o sucesso profissional eram as relações interpessoais. Quem me conhece sabe que eu não podia estar mais de acordo (não sei por que razão as empresas e os “chefes” demoram tanto a entendê-lo…).

Em How to Win Friends and Influence People, o autor dá 3 técnicas fundamentais para lidar com pessoas. propõe 6 formas de fazer com que os outros gostem de nós, 12 maneiras para os convencer e 9 para liderar.

Só por estas enumerações, é percetível que se trata de um livro muito prático e organizado. Para uma melhor compreensão, apresenta vários exemplos de situações em que a nossa atitude pode ser melhorada. Além disso, após cada capítulo, faz uma breve síntese dos comportamentos que devemos tomar quando expostos à situação explorada. É realmente TOP, pelo que aconselho vivamente! 

Podes encontrar o livro How to Win Friends and Influence People aqui.

 

The Subtle Art of Not Giving a F*ck, de Mark Manson

É difícil não ficar curioso ao ler o título deste livro, de tão invulgar e inequívoco que é… Se não viveste debaixo de uma pedra nos últimos tempos, já terás ouvido falar dele várias vezes…

The Subtle Art of Not Giving a F*ck, de Mark Manson, é um livro que mexe connosco por ser tão direto e desconcertante, fazendo-nos refletir sobre as nossas atitudes e o nosso autoconhecimento. Embora se enquadre na categoria de livros de autoajuda e desenvolvimento pessoal, este é um livro muito diferente dos já escritos, pois o autor – Mark Manson – apresenta uma visão única de como enfrentar o mundo, com base nas suas experiências pessoais e com uma postura muito peculiar.

Este é um daqueles livros que ou se adora, ou se odeia. Muitas das críticas que recebe prendem-se com o facto de as teorias expostas não estarem fundamentadas cientificamente, uma vez que partem de conclusões empíricas. Porém, os que adoram o livro revelam ter ficado surpreendidos pela forma como revolucionou a sua perspetiva de vida. Eu cá faço parte deste segundo grupo!

O autor afirma que “não somos assim tão especiais, nem diferentes uns dos outros”, da mesma maneira que as nossas dores e problemas também não o são.  Defende que é importante enfrentarmos as nossas dores e os nossos problemas e, sobretudo, compreendermos o seu porquê. Em certos momentos, o livro torna-se mesmo provocador ao criticar e ironizar algumas das nossas vulnerabilidades e pensamentos mais comuns.

Embora o livro transmita a mensagem de que “não nos devemos importar com nada”, na verdade, o que o autor pretende transmitir é a importância de se saber selecionar os problemas aos quais vale a pena dedicarmos o nosso tempo. São, assim, dispensáveis as horas de preocupação e sobressalto quanto a assuntos menores que, por algum motivo, não vão ao encontro da nossa vontade ou nos incomodem por não coincidirem com o nosso ponto de vista.

Como mencionei anteriormente, este é um livro de autoajuda e desenvolvimento pessoal. Não obstante, é bastante fácil aplicar os seus ensinamentos ao marketing digital. Numa área tão vasta e em constante evolução como o digital, acreditem: os problemas são frequentes e os erros são comuns, mas são esses erros e problemas que nos permitem evoluir, enquanto profissionais e ser humanos!

The Subtle Art of Not Giving a F*ck vem simplificar alguns dramas, problemas, erros, medos e angústias que desenvolvemos ao longo do tempo, ensina-nos a enfrentá-los e, especialmente, a tirar proveito dos mesmos, pelas lições de vida que nos acrescentam.

A mensagem principal que retiro dele não é a de que devemos deixar de nos importar com tudo, mas sim, a de que só beneficiamos ao sermos seletivos com aquilo que nos importamos, ou seja, escolhendo as nossas “batalhas” de forma inteligente!

Se a curiosidade de saber em que lado do espectro te encontras (do dos que adoram ou dos que odeiam o livro), podes encontrá-lo e saber mais sobre The Subtle Art of Not Giving a F*ck aqui.

 

Rework, de Jason Fried e David Heinemeier Hansson

Quero motivar-te ao máximo para alcançares os vossos objetivos da melhor forma possível. Por isso, incluo nesta lista um livro que adorei ler e que vejo como deveras valioso, principalmente para quem, como eu, é empreendedor: Rework, de Jason Fried & David Heinemeier Hansson.

Se já te aventuraste em leituras de âmbito empresarial, sabes bem que muitos livros de negócios acabam por cair nos conselhos cliché, para quem quer criar e desenvolver o seu próprio negócio…

Um dos motivos pelos quais desfrutei tanto deste livro foi, precisamente, o facto de se demarcar de todos os outros, assumindo uma postura de praticidade e uma ausência de filtros que vejo como muito útil a todos os que queiram realmente colocar “mãos à obra” (desde detentores de pequenos negócios a artistas que procurem estratégias que lhes permitam viverem de uma forma sustentada e mais tranquila).

De facto, a controvérsia é traço profundamente caracterizador de Rework. Fried e Hansson surpreendem, ao afirmarem que a maioria das empresas está, na verdade, a fazer tudo mal!

A sua ausência de pudores por parte dos autores é clara, quando declaram que:

  • A eficácia da elaboração de planos de negócios é, no mínimo, questionável;
  • Basearmos as nossas ações nos comportamentos da concorrência é, no fim de contas, um erro;
  • Gerir corretamente um negócio não requer, obrigatoriamente, investimentos externos;
  • Workaholics são colaboradores a evitar nos negócios!

A filosofia de gestão proposta é realmente disruptiva, no que concerne aos dogmas a que nos acostumámos. Concomitantemente, somos confrontados com a ideia de que, na maioria das vezes, nos conformamos com a invenção de meras desculpas que justifiquem a nossa inação, a não-concretização do que, à partida, pretendemos.

Desta forma, os criadores da Basecamp – uma plataforma online de gestão de fluxo de trabalho para empresas – aglomeram o conhecimento que foram apreendendo ao longo do tempo, concedendo-nos dicas (com um toque provocatório que nos desafia constantemente) sobre como aumentar a nossa produtividade, conseguir projeção para o nosso negócio com um orçamento limitado, entre outras.

Se procuras um livro que te alargue os horizontes, relativamente àquilo que é gerir um negócio, com uma linguagem fácil e direta, lê Rework. Uma coisa posso garantir: não lhe vais ficar indiferente… Sabe mais sobre o Rework aqui.

 

Marketing Digital para Empresas

Não poderia deixar de referir, na minha lista de sugestões de leitura, o livro Marketing Digital para Empresas, do qual sou coautor, em conjunto com outros 5 especialistas das mais diversas áreas do Marketing Digital em Portugal.

Bem sei que posso parecer suspeito por ter sido um dos seus autores, mas este é, genuinamente, aquele que considero ser um livro bastante completo sobre Marketing Digital:

 

marketing-digital-para-empresas

 

É evidente que as sociedades se estão a transformar a um ritmo alucinante, atualmente, e que, para serem bem-sucedidas, as empresas precisam de se adaptar e preparar para este mundo que já não deve, a meu ver, ser pensado apenas como sendo o futuro: o Digital já se instalou, e temos de agir já!

A verdade é que sou um otimista por natureza, e o digital, para mim, representa, acima de tudo, toda uma esfera de novas oportunidades, comparativamente com a realidade empresarial que outrora vivemos. Porém, isso não significa que não tenha os seus desafios…

(E que bom que é sermos desafiados!)

Foi a pensar nisso e em todo o potencial que Portugal possui, no que concerne ao Digital, que me juntei a 5 excelentes profissionais da área do Marketing Digital, nesta missão de te transmitir tudo o que consideramos ser fundamental para tirares o máximo proveito de tudo o que este novo mundo nos possibilita!

Quisemos apresentar-te uma abordagem o mais completa possível, com foco em 3 áreas fulcrais:

  • O investimento em skills digitais;
  • As plataformas de e-commerce;
  • A internacionalização do negócio.

Estas são exploradas em seis capítulos, de temas distintos mas complementares e assinados pelo autor respetivo:

  • Website e landing pages (Frederico Carvalho)

Este capítulo explora que ferramentas deverás utilizar, se o teu objetivo é otimizar o teu website;

  • SEO (Paulo Faustino)

O SEO (Search Engine Optimization) surge como algo essencial na obtenção de visibilidade nos motores de pesquisa, com base nas palavras mais relevantes para o negócio em causa, de forma orgânica.

  • Google Ads (Marco Gouveia ;))

Em complemento ao capítulo anterior, este explica como funciona o Google Ads e como usufruir, da melhor forma, desta ferramenta, no sentido de tornares o teu negócio mais rentável, através do Digital.

  • Redes Sociais (Virgínia Coutinho)

Neste capítulo, tens acesso a dicas para explorares devidamente as redes sociais, tanto a nível orgânico como através dos vários tipos de anúncios que estas plataformas disponibilizam.

  • E-mail Marketing (André Novais de Paula)

O e-mail continua a ser uma ferramenta muito importante para as empresas, mas necessita de ser devidamente estudada, no que respeita, nomeadamente, à captação e tratamento de dados, bem como à abordagem que deverás ter.

  • Medição e performance (Analytics e Medição de Resultados) (André Zeferino)

Aqui, descobrirás como medir o retorno de todos os investimentos e decisões tomadas, para saber como agir eficazmente, no futuro.

Por todos estes motivos e tantos outros que encontrarás ao folhear este livro, considero-o o guia fundamental para qualquer empresa que deseje disparar as suas vendas online, implementar ou melhorar uma estratégia de Marketing Digital!

A melhor parte? Está disponível aqui 👉 Marketing Digital para Empresas !

 

Start With Why, de Simon Sinek

Este livro é, para mim, brilhante, uma referência há anos.

Neste livro, Simon Sinek explora o erro comum que as pessoas e empresas cometem ao começarem por demonstrar “o que fazem” e “como o fazem” ao invés de começarem pelo seu “porquê”.

O que diferencia as empresas normais das extraordinárias não é uma característica única de um dos seus produtos, nem a sua funcionalidade…

… É a razão pela qual o fazem, o seu “porquê“! Os “quês” são as provas palpáveis; os “porquês” são crenças e paixões que movem a empresa, a marca, os produtos e as pessoas e que, verdadeiramente, as diferenciam e inspiram a lealdade dos colaboradores e consumidores.

A lealdade é algo muito diferente da recorrência. Em Start With Why, autor explica estes conceitos ao traçar a dicotomia entre a “manipulação” e a “inspiração”.  As empresas recorrem à manipulação – todas as formas desenfreadas de vendas e marketing para “justificar” o valor de uma oferta -, quando não têm uma noção clara da razão pela qual os seus clientes são, de facto, seus clientes.

(A manipulação pode surgir sob várias formas:

– Redução súbita de preços: é a manipulação mais eficaz e, embora algumas empresas se revelem relutantes a entrar neste “jogo dos preços”, é comum baixarem os seus preços quando são confrontadas com uma grande oportunidade de negócio.

– Promoções: funcionam bem no curto prazo, porém, se forem demasiado recorrentes, podem ser muito prejudiciais, porque o consumidor fica habituado a comprar um produto, somente quando está em promoção.

– Medo: muito comum quando pensamos em mensagens publicitárias sobre deixar de fumar.

– Aspiração: o exemplo badalado dos “6 exercícios fáceis para perder peso”. Esta mensagem pode motivar uma pessoa a inscrever-se no ginásio, mas tal não significa que vá todos os dias, para isso é preciso haver inspiração.

– Pressões dos pares: tendencialmente, percecionamos os produtos que os especialistas, celebridades e nossos amigos e hoje, sobretudo, os influencers utilizam como sendo “de qualidade”.

– Novidade: muitas vezes apelidada de inovação, mas que na realidade, não é muito “inovadora”. Os produtos “inovadores” que muitas empresas lançam mensalmente, na realidade, são apenas edições muito semelhantes às anteriores, mas com uma ligeira variação.)

Vista esta lista, imagina agora a quantidade de vezes que já não terás sido alvo de “manipulação”…

Não obstante, não te censures: Sinek explica que as manipulações são feitas porque, efetivamente, estão pensadas para funcionar e produzem resultados reais… As manipulações geram transacções e podem incentivar a recorrência de um cliente, mas são facilmente copiadas pelos nossos concorrentes. Atingir a lealdade requer muito mais do que transacções repetidas: requer inspiração.

Para inspirar, é necessário descobrirmos o nosso “porquê”, o motivo pelo qual começámos a “fazer aquilo que fazemos” e o que podemos fazer para revitalizar a nossa causa. Um sentido claro do porquê, dá às pessoas um motivo em que acreditar , uma crença que as define: “Os consumidores leais não compram o que uma empresa faz, mas sim o PORQUÊ de a fazer, afirma Sinek.

“A todos aqueles que procuram criar um sucesso duradouro e que acreditam que o seu sucesso requer a ajuda de outros, lanço-lhes um desafio: a partir de agora comecem pelo porquê”!

Descobre mais sobre o Start With Why aqui.

Solicitar Orçamento

Procura um Consultor com vasta experiência na área do Marketing Digital, focado em alcançar objectivos e em aumentar o ROI dos seus Clientes? Não hesite:

Subscreva a newsletter!

    Siga este link para aceder a Política de Privacidade
No Comments

Comente

Mais artigos

Ver todos os artigos